Ativa Naviraí | Notícias, Imagens, Vídeos e Entrevistas

MENU
Logo
Sexta, 03 de dezembro de 2021

Policial

Traficantes de cocaína e maconha em MS são alvos de ações da Polícia Federal

Nesta manhã, as equipes realizam duas operações diferentes, que possuem os mesmos investigados

Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Traficantes que atuam na fronteira de Mato Grosso do Sul com Paraguai e Bolívia são alvos de operações da Polícia Federal na manhã desta quarta-feira (24). Duas ações contra os criminosos acontecem simultaneamente em cidades do Estado e também de São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Goiás.

Apesar de terem nascido em momentos diferentes, as operações possuem alvos em comum e, por isso, são realizadas no mesmo dia.

Investigações da Operação Canis começaram após o líder da organização criminosa tentar fugir de uma abordagem policial no posto de imigração fronteiriço de Corumbá – cidade a 446 quilômetros de Campo Grande – em 2019. Na data, foram encontrados com ele anotações com extensa contabilidade criminosa, dez aparelhos celulares e documento falso.

Análises do material apreendido revelaram o envolvimento do suspeito com o tráfico internacional de cocaína através de aeronaves. Durante as apurações, foi apreendida carga de quase meia tonelada de cocaína em um avião vindo da Bolívia. A partir disso, vários integrantes do grupo foram identificados.

Como consequência, são cumpridas nesta manhã, quatro mandados de prisão e nove de busca e apreensão nas cidades de Campo Grande e Dourados (MS), Atibaia (SP), Bento Gonçalves (RS) e Foz do Iguaçu (PR). Além disso, foi determinado o sequestro de um imóvel de luxo, diversos veículos e duas aeronaves.

Já a Operação Urano teve início nas apurações do tráfico de drogas a partir da cidade de Amambai, com a apreensão de 220 quilos de maconha na cidade de Naviraí.

Durante as investigações, foram realizadas análises dos dados bancários e fiscais dos supostos envolvidos no esquema e assim, confirmada a participação de diversas pessoas e empresas na movimentação e ocultação de valores do grupo criminoso.

Diante dos dados, levantados em conjunto com o Núcleo de Pesquisa e Investigação da Receita Federal no Mato Grosso do Sul, foram emitidos nove mandados e busca e apreensão e um de prisão, que são cumpridos nas cidades de Campo Grande e Goiânia.

Os nomes dos alvos não foram divulgados pela polícia. Durante as primeiras horas de ação, foi apreendida grande quantidade de dinheiro e vários celulares.

As ações – Canis aureus, que denomina a primeira operação, é o nome científico do chacal, animal que apelidava o principal alvo da operação, o qual já fora investigado e preso em operações anteriores, todas relacionadas ao tráfico de entorpecentes.

O nome da segunda ação também remete ao principal alvo, que coincide com o nome de uma das luas do planeta Urano.

Fonte/Créditos: CG News

Comentários: